Keynote speaker: Marcelo Gleiser falará sobre futuro da educação e do trabalho na abertura do XIII CBESP

/ janeiro 31, 2020/ XIII CBESP/ 0 comments

O Cientista brasileiro de renome mundial Marcelo Gleiser está confirmado com o keynote speaker da 13ª edição do Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular (CBESP), que será realizada nos dias 28, 29 e 30 de maio de 2020, no Costão do Santinho, em Florianópolis/SC. Ele palestrará na abertura do Congresso sobre o tema “Tecnologias exponenciais e o futuro da educação e do trabalho”.

Demandas do século XXI
Professor titular de Física e Astronomia do Dartmouth College (EUA) e o primeiro latino-americano a vencer o Prêmio Templeton, Gleiser acredita que o impacto da inteligência artificial na força de trabalho acabará com grande parte dos empregos atuais e afirma que o Brasil precisa evoluir nessa discussão. “Aqui há uma rigidez na formação e a percepção de que se você faz economia, você só pode ser economista. Nos EUA, a universidade oferece uma formação intelectual sólida, você se forma e, depois, recebe um treinamento de dois a três meses para aprender qual trabalho a empresa quer de você”, afirmou Gleiser em entrevista ao Valor Econômico.

Ainda em suas reflexões sobre as transformações do século XXI, além das mudanças na formação dos profissionais do futuro, o cientista afirma que as empresas precisarão se posicionar diferente sobre as questões morais e éticas por pressão dos próprios clientes. Além disso, Gleiser destaca que com a maior presença da chamada “geração Z” no mercado será preciso reinventar a forma como trabalhamos, vivemos e consumimos. “É a primeira geração totalmente digital e que possui valores sociais profundamente diferentes. São pessoas que veem, por exemplo, a diversidade de uma forma óbvia, absolutamente natural e essencial na sociedade”.

Ciência e religião
Conhecido como um dos principais proponentes da visão que ciência, filosofia e espiritualidade são expressões complementares, Gleiser já teve mais de 100 artigos revisados e publicados até o momento e pesquisas sobre o comportamento de campos quânticos e partículas elementares e a formação inicial do universo, a dinâmica das transições de fase, a astrobiologia e as novas medidas fundamentais de entropia e complexidade baseadas em teoria da informação.

Em entrevista, o cientista afirma que acredita na importância do diálogo entre ciência e religião e que isso não desperta resistência a ele no meio científico. “Estou dizendo que a ciência não mata Deus. Mas eu não estou dizendo que Deus existe. Por outro lado, tenho uma credibilidade muito sólida como cientista. Os caras sabem que eu sou antes de mais nada um físico teórico, cá entre nós, com uma reputação internacional alta. Vão falar o quê?”.

Gleiser fundou o Instituto de Engajamento à Interdisciplinaridade (ICE) em Dartmouth (EUA) com a ideia de promover o diálogo construtivo entre as ciências naturais e humanas. Além disso, venceu o Prêmio Jabuti em 1998, pelo livro “A Dança do Universo”, e em 2002 por “O Fim da Terra e do Céu”. Em 2006, apresentou a série de 12 episódios ‘Poeira das Estrelas’, no Fantástico.

Inscrições
As inscrições para o XIII CBESP estão abertas. Além dos benefícios para inscrições individuais e condições especiais para participação de grupos, as instituições associadas a entidades que compõem o Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior Particular também possuem direito a valores diferenciados, basta entrar em contato com a entidade e solicitar o código.

Clique aqui para realizar sua inscrição.
Clique aqui para conferir a programação preliminar.

 MARCELO GLEISER

Keynote Speaker | Cientista brasileiro de renome mundial. É professor titular de Física e Astronomia do Dartmouth College (EUA). Foi o primeiro latino-americano a vencer o Prêmio Templeton – distinção conhecida como o “Nobel da espiritualidade”, que já foi recebida por nomes como Dalai Lama e Madre Teresa de Calcutá. É autor de diversos best sellers, fundador do Instituto de Engajamento à Interdisciplinaridade (ICE) em Dartmouth (EUA). Vencedor do o Prêmio Jabuti em 1998, pelo livro “A Dança do Universo”, e em 2002 por “O Fim da Terra e do Céu”. Em 2006, apresentou a série de 12 episódios ‘Poeira das Estrelas’, no Fantástico.

Share this Post

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.